quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

MOINHO DOS PADRES - PONTE DO PENACOL -PONTE DE VALBÃO

Ponte de Valbão
MOINHO DOS PADRES – A 13 de Junho de 1743 despachou favoravelmente a Câmara Municipal de Bragança a petição dos jesuítas do colégio da mesma cidade, que projectavam construir um pontão sobre o rio Sabor, junto a um moinho que lá tinham, «para passagem dos seus gados, e que o dito pontão hera de muita utilidade ao bem publico».
PONTE DO PENACOL – Em ofício da Câmara de Bragança, de 1 de Agosto de 1856, para o administrador do concelho, se diz: «Tendo esta municipalidade mandado concertar a ponte do Penacol que se achava em grande estado de ruina» pede para que ordene ao regedor de Faílde que mande apenar carreiros para condução dos materiais.
PONTE DE VALBÃO – Pela provisão de 14 de Novembro de 1825 autorizou el-rei D. João VI a Câmara Municipal de Bragança a cobrar durante quatro anos um real em cada arrátel de carne, que se vendesse no açougue, e em cada quartilho de vinho que se vendesse atabernado na cidade e termo, para reedificar a ponte de Valbão sobre o Sabor, que estava em lamentável estado e para reparar as estradas dos lados e calçadas da cidade, no seu interior. O lanço menor para a ponte e seus três arcos foi de três contos de réis.
Por sentença de 9 de Março de 1507 foram o mosteiro de Castro de Avelãs e os concelhos de Vila Franca, Vale de Prados, Frieira, Ervedosa, Gostei e Castanheira escusados de contribuir para a ponte de Valbão, que a Câmara de Bragança queria construir, por não serem a tal obrigados segundo os privilégios de seus forais. 
Parece que a construção desta ponte se iniciou pelos anos de 1492.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Miranda De L Douro - Tierra Natal


Município de Carrazeda de Ansiães lança campanha de Incentivo ao Consumo no Comércio Tradicional

O Município de Carrazeda de Ansiães vai lançar uma campanha de incentivo ao consumo no comércio tradicional através do sorteio de 3 cabazes de natal, com o preço unitário de 250,00 euros.
Este programa de incentivo destina-se a todos os consumidores que efectuem compras nas lojas comerciais, locais, aderentes entre os dias 11 e 31 de Dezembro.
Os consumidores só têm de reunir os comprovativos das compras, dirigirem-se à loja Interativa de Turismo, até ao dia 4 de Janeiro e preencherem os cupões de participação que serão depositados numa caixa selada localizada no interior da loja. Cada 15 euros em compras dá direito a um cupão de participação.
O sorteio será realizado no dia 6 de Janeiro durante a atividade “Vamos Cantar os Reis”.
REGULAMENTO.
ESTABELECIMENTOS ADERENTES.

"Férias de Natal em Movimento 2017" - MOGADOURO

As inscrições para as "Férias de Natal em Movimento 2017" estão a terminar... Inscreva já o seu educando na Câmara Municipal de Mogadouro ou junto dos professores das AEC.

Condenações, milhões para o Estado e cartas apreendidas em megaprocesso de Bragança

O megaprocesso de corrupção com cartas de condução terminou hoje em Bragança com a condenação da maioria dos 111 arguidos, a perda de quase cinco milhões de euros a favor do Estado e a apreensão de dezenas de títulos.
O acórdão do processo foi divulgado hoje, mais de dois anos e meio depois do início do julgamento com 111 arguidos, resultado da operação da Polícia Judiciária que ficou conhecida como "Carta Branca" e que levou ao banco dos réus candidatos, examinadores, proprietários e escolas de condução e dois médicos.


O tribunal aplicou 11 penas de prisão efetiva a examinadores e proprietários de escolas de condução, entre os cinco anos e três meses e os oito anos e meio. Cinco destes arguidos foram ainda condenados a entregar ao Estado um total de quase cinco milhões de euros, resultados da alegada atividade ilícita, além de outros bens apreendidos durante o processo.

Entre os condenados estão quatro examinadores que ficam proibidos de exercer a atividade por períodos de três e cinco anos.

Pelo menos, 25 arguidos foram condenados, mas ficaram com pena suspensa, mediante a condição de pagarem quantias a instituições de solidariedade, num valor global a rondar os 150 mil euros.

Entre os perto de 60 candidatos acusados de pagarem para obter a carta de condição, parte foi absolvida e mais de 30 condenados com a pena suspensa, mas a quem o tribunal decidiu que será apreendido o título por ser sido obtido de forma ilegal.

No processo foi ainda condenado a pagar uma multa de 2.100 euros um arguido que fez o exame por outro candidato e dois médicos que por falsificarem atestados, vão pagar multas de 7.200 euros e 5.400 euros.

A penas de multa entre os 4.800 e os 10.800 euros foram condenadas também quatro das escolas de condução envolvidas no processo, nomeadamente a Nordeste, Novo Século, Moncorvense e a Primavera.

Agência Lusa
Porto Canal

Memórias da RTP - 2010-05-25 - Internet segura

Bragança, alunos de escola recebem aula especial para saberem utilizar a Internet e conhecerem os perigos desta.
clica na imagem para aceder ao video

Mercado Medieval - Freixo de Espada à Cinta

V Encontro de Máscaras | 2017

Ponte do Loreto

Pela provisão régia de 29 de Novembro de 1814 foi «estabelecida a imposição de um real em cada arratel de carne e em cada quartilho de vinho atabernado [que se vendesse] na cidade e seu termo por tempo de dous annos» para construção da ponte do Loreto «sobre o rio fervença que corre junto aos muros da mesma cidade, a qual fôra levada no anno de mil oito centos e quatro por hua grande tempestade acontecida naquelle rio».
Em 1816 foi prorrogada a cobrança do mesmo imposto por mais dois anos e por mais outros dois em 1819.
Passa nesta ponte a primeira canalização de água que veio do termo para Bragança, sendo a 19 de Novembro de 1879 que teve lugar a inauguração solene da conclusão dos trabalhos e da utilização da água pelo público. Foi director das obras o engenheiro francês Henrique Pollét.
Como esta água não chegava, fez-se outra mais importante canalização de águas captadas no termo da aldeia de Sabariz, distante seis quilómetros.
Foi também o engenheiro francês Lucien Guerche quem dirigiu as obras, que se iniciaram em Agosto de 1926 e concluíram em Março de 1928 com a chegada da água e sua distribuição pelas casas dos cidadãos. Este mesmo engenheiro dirigira anos antes as obras da iluminação da cidade a luz eléctrica, inaugurada a 22 de Dezembro de 1921. As águas de Sabariz são distribuídas pelas casas dos particulares mediante certa quantia paga por metro cúbico de água e as da primeira canalização em 1879 são gratuitas, facultadas ao público em doze marcos fontenários colocados nas ruas públicas. Estas vieram da vertente poente do cabeço de S. Bartolomeu, sítio chamado Vale Chorido, e do Loreto ou Beatas, sítio contíguo à cidade.
Era esta água das Beatas ou do Loreto que séculos antes os jesuítas projectaram trazer para a cidade.
Não foi sem protesto do partido político contrário que alguns destes melhoramentos se fizeram. O facciosismo e a acanhada noção que os caciques eleiçoeiros tinham do próprio prestígio, levava-os a guerrear os contrários sempre que davam um passo em favor da terra, não fossem avantajar-se-lhes ante as urnas eleitorais, em vez de congregarem esforços para o bem-comum ou emolarem-se para mais e melhor conseguirem. Desgraçada gente!... Desgraçada concepção política!! E ainda não acabou de todo a semente de tão daninhos escalrachos.
Entre estes protestos é célebre o resultante do comício celebrado a 16 de Junho de 1882, no largo de S. Bento, contra as obras projectadas pela Câmara Municipal de Bragança e a vandálica destruição dos materiais para a praça-mercado na cerca do extinto convento de Santa Clara, onde agora estão as escolas primárias e o hospital da Misericórdia, realizada pelo poviléu por esse tempo.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Festival Sete Sóis Sete Luas

Dança flamenca e gastronomia toscana no Festival Sete Sóis Sete Luas em Alfândega da Fé
Dezembro será um mês especial em Alfandega da Fé com uma programação extraordinária do Festival Sete Sóis Sete Luas.
Depois do grande êxito do Festival em Setembro, Alfandega da Fé recebe mais duas atividades deste incrível projeto internacional que promove a cultura em mais de 11 países do Mediterrâneo e do mundo lusófono. Com o apoio do Município de Alfandega da Fé e da Porto e Norte, a programação será dedicada à dança e à gastronomia.
De 11 a 13 de Dezembro realizar-se- á um laboratório de gastronomia toscana com as cozinheiras Paola Angiolini e Roberta Lupi, que também irão apresentar algumas receitas típicas do Natal da sua terra. Serão 3 dias abertos a 15 cozinheiros locais, amadores e profissionais. Cada laboratório terá uma duração de 3 horas de 18h a 21h.

Teatro | O Pai Natal Verde

A peça "O Pai Natal Verde" sobe a palco no dia 15 de dezembro na Casa da Cultura. Uma inciativa destinada às crianças do pré-escolar e 1º ciclo que conta a história de Inês e do Pai Natal.Uma aventura de Natal com preocupações ambientais.

Miranda do Douro quer dar mais um passo no reconhecimento da língua mirandesa

Chega hoje a Miranda do Douro um grupo de especialistas em política linguística e em direitos linguísticos do Comité de Peritos do Conselho da Europa que vai fazer a avaliação da língua Mirandesa e avaliar a possibilidade de Miranda assinar a Carta Europeia das Línguas Regionais e Minoritárias.
O presidente do município, Artur Nunes, explicou ao Jornal Nordeste que a ideia é trazer os entendidos a conhecer a língua mirandesa, naquela que é a sua realidade
“O que fizemos foi em vez de irmos a Bruxelas falar com eles sobre esta matéria, convidámo-los a vir até Miranda do Douro, para que juntamente com os linguistas portugueses e que estão integrados dentro da língua mirandesa, poderem fazer uma avaliação sobre o estado da língua, quer do ponto de vista teórico/ académico, quer do ponto de vista prático”, explicou.
Assim feita a avaliação pode ser preparado o processo para Portugal levar essa proposta de assinatura. Além do município de Miranda, são várias as entidades que fazem parte deste processo.   Além do município de Miranda, são o Ministério da Educação, o Ministério da Justiça (a nível da tradução), Ministério da Cultura, Ministério dos Negócios Estrangeiros (tutela), “para fazer a proposta para conselho de ministros para poder assinar a Carta Europeia das Línguas Minoritárias.”
Artur Nunes acredita que isto é uma mais-valia para Portugal e para a cultura nacional pois trata-se de mais um reconhecimento do mirandês.
Artur Nunes, acredita que isto é uma mais-valia para Portugal e para a cultura nacional pois trata-se de “um conjunto de processos que nos vai levar ao reconhecimento do Mirandês como segunda língua oficial, por um lado, e por outro, um país que é neste momento mono-línguistico passa a ser bi-linguista.”     
Em comunicado o município acrescenta ainda que “a assinatura e ratificação da Carta Europeia das Línguas Regionais ou Minoritárias do Conselho da Europa pelo Estado Português é uma reivindicação antiga da Câmara Municipal de Miranda do Douro juntamente centro de investigação da Universidade de Coimbra que tem trabalhado sobre a língua mirandesa e sobre a diversidade linguística.”

Escrito por Brigantia

“Portugal Rural”. Trás-os-Montes, décadas de 50/60 - Foto: Artur Pastor

Em Miranda do Douro, o Pai Natal troca as renas pelo burro mirandês

O Pai Natal de Miranda do Douro troca as renas pelo burro mirandês e percorre as ruas da cidade a distribuir guloseimas.
Foto: Pedro Manhonho
Nos dias 16 e 24 de dezembro, Pedro Manhonho sai à rua vestido de Pai Natal e distribui guloseimas pelas crianças que esperam ansiosamente a sua chegada. Mas este Pai Natal tem uma particularidade: troca as renas pelo burro mirandês, o animal mais acarinhado de Miranda do Douro, em Bragança.
É a paixão pelo teatro de rua que faz este bancário percorrer as ruas da cidade e levar, desde há 10 anos, a magia do Natal aos pequenos mirandeses. A aventura começou a bordo de uma bicicleta ‘pasteleira’, decorada com as típicas renas natalícias, que faziam as delícias de quem assistia ao espetáculo.

Atualmente, este transmontano transporta a tradição para espírito natalício. Nas ruas de Miranda do Douro, o trenó é puxado por um burro mirandês. No saco, Pedro Manhonho carrega centenas de guloseimas, que distribui pelas crianças que se juntam à festa.

Este ano, o Pai Natal sai à rua nos dias 16 e 24 de dezembro, entre as 14 horas e as 17 horas. A iniciativa é organizada a título pessoal e movida por uma paixão que já lhe valeu alguns prémios.

Goreti Pera
Notícias ao Minuto

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Bebé de quatro meses sofre queimaduras graves após queda em lareira

Um bebé de cerca de quatro meses ficou hoje ferido com queimaduras graves, após ter caído à lareira da casa onde residia com os pais, na aldeia de Urrós, concelho de Mogadouro, disse à Lusa fonte da GNR.
Segundo a mesma fonte, a criança estava acompanha pela mãe quando se deu o acidente.

O alerta foi dado cerca das 17:25 de hoje.

"O bebé de tenra idade foi transportado pelos pais para a Urgência Básica do Centro de Saúde Mogadouro, onde recebeu o primeiro tratamento hospitalar", indicou fonte do comando da Bragança de GNR.

O helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Medica(INEM), estacionado em Macedo de Cavaleiros ainda foi acionado. Porém, devidos as fracas condições meteorológicas, a criança acabou por ser transportada por via terrestre para o Hospital de São João, no Porto.

Agência Lusa

Condenações, milhões para o Estado e cartas apreendidas em Bragança

O megaprocesso de corrupção com cartas de condução terminou hoje em Bragança com a condenação da maioria dos 111 arguidos, a perda de quase cinco milhões de euros a favor do Estado e a apreensão de dezenas de títulos.
O acórdão do processo foi divulgado hoje, mais de dois anos e meio depois do início do julgamento com 111 arguidos, resultado da operação da Polícia Judiciária que ficou conhecida como "Carta Branca" e que levou ao banco dos réus candidatos, examinadores, proprietários e escolas de condução e dois médicos.

O tribunal aplicou 11 penas de prisão efetiva a examinadores e proprietários de escolas de condução, entre os cinco anos e três meses e os oito anos e meio. Cinco destes arguidos foram ainda condenados a entregar ao Estado um total de quase cinco milhões de euros, resultados da alegada atividade ilícita, além de outros bens apreendidos durante o processo.

Entre os condenados estão quatro examinadores que ficam proibidos de exercer a atividade por períodos de três e cinco anos.

Pelo menos, 25 arguidos foram condenados, mas ficaram com pena suspensa, mediante a condição de pagarem quantias a instituições de solidariedade, num valor global a rondar os 150 mil euros.

Entre os perto de 60 candidatos acusados de pagarem para obter a carta de condição, parte foi absolvida e mais de 30 condenados com a pena suspensa, mas a quem o tribunal decidiu que será apreendido o título por ser sido obtido de forma ilegal.

No processo foi ainda condenado a pagar uma multa de 2.100 euros um arguido que fez o exame por outro candidato e dois médicos que por falsificarem atestados, vão pagar multas de 7.200 euros e 5.400 euros.

A penas de multa entre os 4.800 e os 10.800 euros foram condenadas também quatro das escolas de condução envolvidas no processo, nomeadamente a Nordeste, Novo Século, Moncorvense e a Primavera.

O tribunal leu só as penas do acórdão que levaria dias a ler, como frisou o juiz presidente, naquele que é classificado como um processo complexo e o maior alguma vez realizado em Bragança.

O advogado Miguel Brochado, que representou seis arguidos no julgamento, entre escolas de condução e proprietários, adiantou que vai recorrer da decisão, embora ainda vá analisar o acórdão.

Segundo disse, parece-lhe "notório haver aqui alguns erros decisórios, nomeadamente a alteração da prática dos crimes da forma continuada para concurso de crimes", o que agrava as penas.

O advogado disse ainda que este acórdão "será motivo de recurso, seguramente" não só por parte dos arguidos que representa, mas também de outros.

Este mega julgamento já custou ao Estado quase 50 mil euros em rendas e outros tantos em obras para a construção de uma sala de audiências no Centro Empresarial de Bragança, por não haver condições para receber um número tão elevado de envolvidos no tribunal local.

O julgamento prolongou-se por 104 sessões e visou uma alegada rede de corrupção com cartas de condução que envolveu 30 instrutores, examinadores, funcionários e empresários, nove escolas de condução e candidatos, num total de 111 arguidos.

Os arguidos estavam acusados de diversos crimes, nomeadamente corrupção ativa para a prática de ato ilícito agravado, corrupção passiva agravada, falsificação de documento e detenção de arma proibida.

De acordo com a acusação, o alegado esquema de corrupção envolve examinadores de Bragança e Mirandela e escolas de condução das duas cidades, de Murça, Vila Real, Torre de Moncorvo e Sabrosa.

Foram ainda acusados instrutores, gerentes e empresários das mesmas, mas também de outras regiões como Vieira do Minho, São João da Madeira, Paços de Ferreira, Peso da Régua, Braga, Barcelos, Póvoa de Lanhoso, Guimarães, Murça, Alijó, Felgueiras, Lousada e Paredes.

Cinco dos principais arguidos estiveram em prisão preventiva.

A maioria destas pessoas é de fora da região de Trás-os-Montes, sobretudo das zonas do Minho e Grande Porto, mas também da Guarda e até de Leiria.

Agência Lusa

"O Relógio Sem Horas"

Bragança vai receber Tour Megacracks

Crianças de Macedo de Cavaleiros assistem ao musical Alice no País das Maravilhas na festa de Natal das escolas