sexta-feira, 21 de julho de 2017

3 000 000 de Visitas

Muito obrigado a todos pelo ânimo que me transmitem.
Aproveito o ensejo para vos relembrar que o espaço do Blog continua aberto a todos aqueles que amem Bragança e que queiram divulgar e promover Bragança, o seu Distrito e Trás-os-Montes.

Preservando a cultura e história dos pauliteiros, Miranda do Douro recebeu o segundo "Palos an Riba - Encontro de Pauliteiros Mirandeses"

Mais de 1500 pessoas marcaram presença no primeiro Bragança Granfondo, onde além das centenas de bicicletas houve ainda uma vertente solidária

Festival aéreo concretiza sonho de saltar de paraquedas aos 80 anos

O festival aéreo de Bragança "Careto Air Show" regressa a 04 de agosto com uma centena de aeronaves a proporcionarem novas experiências à comunidade local, como a realização, aos 80 anos, do "sonho" de saltar de paraquedas.
Depois de no ano anterior ter oferecido o batismo de voo a uma centenária, este ano a organização vai levar a voar, pela primeira vez, crianças desfavorecidas e concretizar o sonho de Sá Ferreirinha, um utente da Santa Casa da Misericórdia de Bragança. Aos 80 anos, vai fazer um salto acompanhado por um instrutor, cumprindo "um sonho de há muitos anos" e para "demonstrar que não são os anos, nem a idade, que impedem uma pessoa qualquer de praticar aquilo que já fez, ou eventos que nunca tenha feito".

Sá Ferreirinha partilhou hoje, na apresentação do festival, que quer "saltar também para fazer ver ao filho, que é paraquedista, que o pai, com 80 anos, vai fazer aquilo que ele já fez durante muitos anos".

O salto está marcado para o segundo dia do festival, que dura três dias, e irá proporcionar também batismos de voo às 25 crianças da Casa do Trabalho de Bragança e a outras que não tenham oportunidade ou condições para andar de avião, como adiantou o diretor do evento, Nuno Fernandes.

O festival é uma iniciativa do Aeroclube de Bragança em parceria com a câmara municipal local. O "Careto Air Show" tem o nome dos tradicionais mascarados das Festas de Inverno de Bragança e a assistência que se deslocar ao aeródromo municipal terá a oportunidade de ver paraquedistas saltarem vestidos com os coloridos trajes dos Caretos.

O festival junta amantes da aviação de Portugal e de Espanha e será ponto de chegada e partida de dois 'raid's aéreos, com portugueses e espanhóis. No último dia, domingo, acaba no aeródromo municipal de Bragança "a maior volta de aviões de Espanha", como disse o diretor. No dia seguinte, começa no mesmo local o Raid Aéreo do Noroeste Ibérico, que há 14 anos junta portugueses e espanhóis e que, nesta edição, conta com 30 aeronaves que vão passar por Bragança, Viseu e Castelo Branco, em Portugal, e Málaga, Toledo e Leon, em Espanha.

O Festival "Careto Air Show" tem este ano a novidade dos saltos de paraquedas, a pensar, segundo a organização, nos paraquedistas de Bragança, que não têm oportunidade de saltar por falta de avião.

O programa dos três dias começa com subidas de balão de ar quente estáticas, no Castelo de Bragança, e passa depois para o aeródromo municipal de Bragança com animação variada, incluindo um espaço para crianças com jogos de aeronáutica e insufláveis, serviço de bar e comida.

Durante o festival há espetáculo de acrobacia, exposição estática sobre aviação, simuladores de voo, performance de planadores e voos de divulgação. Aqueles que queiram sentir a sensação de ser piloto poderão experimentar o simulador de voo de um avião de dimensões superiores aos que podem ser vistos neste festival, concretamente um Airbus A320. O simulador foi desenvolvido pelo Instituto Politécnico de Bragança, segundo o diretor do festival.

Agência Lusa

Pinturas descobertas em Mogadouro estão a intrigar arqueólogos

Foram encontradas umas pinturas murais a fresco numa capela do concelho de Mogadouro.
Ainda se desconhece a origem e o período a que pertencem, mas a população de Vale de Porco acredita que esta descoberta pode contribuir para o aumento do turismo na aldeia.

Cuidados Continuados Integrados de Bragança ativam plano de contingência devido ao calor

Em alturas de calor, e como acontece em todo o país, também em Bragança há um plano de contingência de saúde sazonal devido às temperaturas elevadas.
O Porto Canal acompanhou uma equipa dos Cuidados Continuados Integrados numa visita às casas dos doentes.


Governo ativa Comissão da Seca

Com 80% do território nacional em situação de seca extrema, e com previsão de que no mês de agosto alguns municípios possam ter dificuldades no abastecimento de água, o Governo decidiu ativar a Comissão de Seca e nomear a comissão técnica de apoio.
Em entrevista à TSF, o secretário de estado do ambiente, Carlos Martins, explicava que esta medida visa evitar males maiores “no sentido de começar a tomar medidas de contenção de consumos, e de criar algumas regras e sobretudo alertar para a situação gravíssima que estamos a viver”. O secretário de Estado diz que a intenção é ainda “reunir com a comunidade intermunicipal  e com os municípios que mais diretamente podem ser afectados ao nível do abastecimento de água”.

A Comissão Permanente de Prevenção, Monitorização e Efeitos da Seca reuniu ontem pela primeira vez. Os casos mais preocupantes estão na bacia do Sado, com as 10 barragens com menos água do que o habitual, e na Beira Interior.

O Ministério da Agricultura adiantou, entretanto, que em Outubro vão ser distribuídos 400 milhões de euros a todos os agricultores devido à antecipação dos pagamentos da Politica Agrícola Comum, autorizada pela Comissão Europeia.

Escrito por ONDA LIVRE

Juramento de Bandeira de Praças amanhã em Macedo de Cavaleiros

Macedo de Cavaleiros vai ser palco da Cerimónia Militar do Juramento de Bandeira do 4º Curso de Formação Geral Comum de Praças do Exército, do Regulamento de Infantaria 19 de Chaves.
O início das atividades cerimoniais está marcado para as 11h de amanhã, no Jardim 1º de Maio.

A RÁDIO ONDA LIVRE e ONDA LIVRE TV vão transmitir em direto. Acompanhe em vídeo em ondalivrefm.net/ondalivreTV.

Conheça a ordem das atividades no cartaz abaixo.

Escrito por ONDA LIVRE

Sentimentos esculpidos em pedra

Aeródromo Municipal de Mogadouro acolhe uma semana dedicada a atividades aeronáuticas de recreio

O Aeródromo Municipal de Mogadouro (AMM) acolhe de 24 a 29 de julho um conjunto de atividades aeronáuticas que vão desde o voo planado às acrobacias aéreas, pretendendo juntar mais de 150 pilotos de vários países europeus.
A iniciativa aeronáutica "Térmicas 2017" antecede o festival aéreo "Red Burros Fly In" e vai juntar entusiastas de voo planalto sem motor, oriundos de países como Espanha, França e Suíça, transformando Mogadouro na capital nacional desta modalidade. Segundo o diretor do AMM, João Corredeira, explicou que objetivo da iniciativa aeronáutica é o de proporcionar aos participantes a exploração livre das "condições aerológicas" da região, assim como partilhar experiências e técnicas entre pilotos nacionais e estrangeiros. "Marcam presença na iniciativa 25 pilotos portugueses, espanhóis, italianos e franceses, que aproveitam o ‘Térmicas 2017’ para demonstrar o que de mais moderno existe em matéria de aeronaves preparadas para este tipo de voo", acrescentou o responsável.

Francisco Pinto
in:mdb.pt

População de Argozelo desconte com a qualidade da água da rede pública

A população de Argozelo, no concelho de Vimioso, queixa-se da má qualidade da água desde o início do Verão. Segundo os habitantes da vila a água da rede pública sai amarelada e para beber ou cozinhar vêem-se “obrigados a recorrer a água engarrafada.”
O presidente do município de Vimioso reconhece que devido ao ferro e manganês na represa do rio Maçãs, que abastece aquela localidade e outras aldeias, a água apresentava uma coloração amarelada, mas garante que sempre foi própria para consumo. Jorge Fidalgo refere ainda que tal situação “só se verifica porque os consumos são demasiado elevados em determinadas localidades, devido à utilização da água da rede para regar hortas” e outros fins, o que sobrecarrega o sistema de filtragem da Estação de Tratamento de Água.
O autarca garante também que o problema “está já a ser solucionado com recurso a uma ETA móvel” e que está também a ser construída uma nova estação de tratamento.
As pessoas queixam-se também de “um aumento de 20% do preço da água, apesar da fraca qualidade.”
O presidente da câmara justifica o aumento com as directivas da ERSAR - a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos - para que sejam permitidas candidaturas a projectos nesta área. Jorge Fidalgo deixou ainda o apelo aos munícipes para que os consumos sejam moderados, especialmente porque o país atravessa um período de seca. 

Escrito por Brigantia// Foto:DoctumTV

As ervas nos olivais são um "combustível" para incêndios no Nordeste Transmontano

Emanuel Baptista, da Associação de Olivicultores de Trás-os-Montes e Alto Douro, denuncia o perigo de incêndio originado pelas ervas nos terrenos agrícolas.
Um problema que vem dos incentivos do ministério da agricultura, para que se deixe ficar as ervas rasteiras nos terrenos, a fim de evitar a erosão do solo. Contudo, este ano com a seca severa que o país atravessa, em zonas como o Nordeste Transmontano essa erva pode facilmente ser uma acha de incêndio.
“ Nós temos um olival que como se costuma dizer está num mau cultivo. Com as ajudas comunitárias que nos estão a ser fornecidas estão a incentivar-nos a para que deixemos a erva no olival, para evitar a erosão. Mas devia haver regras que obrigasse o agricultor a fazer capinagem dos olivais porque neste momento se aparecer um incêndio, por exemplo, na zona de Mirandela se calhar metade dos olivais vão embora”, explica.
Os incêndios atacam cada vez mais zonas agrícolas da região devido à desertificação e abandono das terras. A responsabilidade é atribuída ao ministério da agricultura que, por vezes, não adapta as regras à realidade do sector em cada região. 
“É uma situação que está dependente do nosso ministro da agricultura, que é o poder central. Meia dúzia de pessoas, que estão no poder central, fazem as regras desdobram dos regulamentos comunitários para as nossas ajudas regionais, só que muitas delas não se adaptam à nossa região. Somos uma região extremamente seca, quando estamos, no caso do olival, a deixar ficar o arrelvamento como há pouca água estão a fazer um foco para o incêndio e facilmente eles ardem”, sublinha.
Considerações de um especialista, numa altura em que os incêndios são cada vez mais frequentes na região em terrenos agrícolas e quando se fala da necessidade de adoptar mais medidas de prevenção. 

Escrito por Brigantia // Foto: lagar da sancha

Céu de Bragança volta a ser palco do Fly-in Careto Air Show

De 4 a 6 de Agosto, em Bragança, os olhos dos brigantinos e visitantes vão estar postos no céu. A capital de distrito recebe mais uma edição  do Fly-in Careto Air Show, que vai trazer aos céus da cidade, para além de aviões e acrobacias, balões de ar quente no castelo, provas de aeromodelismo e demonstrações.
A organização espera que voem até Bragança o maior número de aeronaves que já participou no evento, que integra o décimo quarto Raid Aéreo do Noroeste Ibérico, estando já confirmadas 70 aeronaves.
Mas Nuno Fernandes, do Aero Clube de Bragança, que organiza o evento, explica que uma das novas apostas deste ano é a participação de paraquedistas. “Temos alguns paraquedistas na cidade e o que lhe proporcionámos já que eles não tinham aviões para saltar, nós conseguimos pôr-lhe um avião à disposição. São paraquedistas brigantinos que vão saltar vestidos de careto. Vamos ter também helicópteros, pela primeira vez”, diz.
O aeroclube vai ainda proporcionar baptismos de voos a crianças desfavorecidas e para além de caretos paraquedistas, um utente de 80 anos da Santa Casa da Misericórdia de Bragança, António Sá Ferreirinha, vai também ter oportunidade de, pela primeira vez, saltar de pára-quedas, de uma altitude de mais de 3000 metros. “É um sonho que já anda na minha cabeça há muitos anos, mesmo quando andava na vida de motard puxava-me para isso. Também é para fazer ver ao meu filho que o pai com 80 anos vai fazer o que ele fez durante muitos anos, que ele é paraquedista. Estou ansioso porque quero demonstrar que não são os anos nem a idade que impedem de uma pessoa qualquer praticar aquilo que já fez”, explica animado.
O Careto Air Show conta com o apoio do município de Bragança e o autarca, Hernâni Dias, tem a expectativa que este seja o evento de aeronáutica mais importante da região. “Este ano da forma como as coisas estão a ser organizadas já com um leque de iniciativas e actividades bastante mais vasto, já com outra capacidade também, entendemos que o evento este ano está bastante melhorado e dentro de algum tempo acredito que vamos ter esse objectivo concluído.” 
Em terra, no aeródromo municipal de Bragança haverá exposições de vários tipos de aviões, ainda um simulador de voo de um Airbus A320 e um espaço de animação para crianças.

Escrito por Brigantia

XXVII Concentração Internacional Motard em Bragança

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Com 80% do país a atravessar uma seca severa a agricultura em Trás-os-Montes vai registar quebras acentuadas na produção

Com cerca de 80% do território nacional a atravessar um período de seca extrema, na região transmontana isso pode significar quedas acentuadas na produção. A falta de chuva está a deixar os agricultores apreensivos.
Prejuízos na agricultura é o que os produtores e entidades responsáveis pelo sector agrícola temem face ao período de seca que o país, sobretudo a região interior, está a atravessar.
Temperaturas extremamente elevadas, falta de precipitação e incêndios, podem significar para uma crise no sector agrícola.
Vítor Teixeira, presidente da Associação de Agricultores do Nordeste Transmontano, está preocupado com a situação. “É óbvio que vamos ter frutas com calibres mais pequenos. A azeitona não tarda começa a cair e vamos ter muito menos produção do que prevíamos. As uvas têm vagos pequenos, maturações desequilibradas. Se chover nos próximos dias, pode ser que as maturações consigam vir como é normal e as uvas tenham algum sumo na altura da vindima. Contudo, acho que a produção não vai ser dentro do que é normal,” explica. 
Emanuel Baptista, da Associação dos Olivicultores de Trás-os-Montes e Alto Douro (AOTAD), teme os prejuízos que a seca pode trazer para o sector do azeite, um dos principais motores económicos da terra quente. “Se não chover durante o próximo mês, os efeitos vão-se reflectir na azeitona que pode começar a cair ao chão e a que fica na árvore não cresce. Vai haver efeitos no rendimento do azeite na extracção e consequentemente no preço de mercado”, esclarece.
Empresária agrícola na zona da Vilariça, Catarina Martins, diz que não é afectada directamente pelo problema da seca no que respeita à qualidade dos produtos graças ao sistema de regadio, mas que afecta “os rendimentos dos produtores porque os custos de produção disparam automaticamente devido ao uso de um maior caudal de água.”
Conforme os especialistas, se não chover durante o próximo mês as produções agrícolas no Nordeste Transmontano vão registar uma quebra significativa, que vai afectar um dos principais sectores económicos desta região.
Perante estes sinais de alarmantes da seca severa, o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, adiantou que o Governo vai activar a Comissão Permanente de Prevenção, Monitorização e Efeitos da Seca. Segundo o que o secretário de estado confirmou à TSF, vai ser “elaborado um plano de contingência para enfrentar a seca e evitar consequências mais graves a meio do verão.” 

Escrito por Brigantia/ Foto: ACRA-EC

Lembrar...Jacinto Galvão - Mogadouro


Núcleo Museológico da Telha em Luzelos e a Sala da Lã em Vilarinho da Castanheira.

No dia 30 de Julho, o Museu da Memória Rural, passa a contar com dois novos espaços museológicos: o Núcleo Museológico da Telha em Luzelos e a Sala da Lã em Vilarinho da Castanheira.

Professor de história e a filha arquitecta produzem um dos melhores azeites do mundo

O Magna Olea, azeite virgem extra de Trás-os-Montes DOP, produzido na Quinta da Fonte, em Vale de Madeiro, no concelho de Mirandela, foi distinguido em dois dos mais importantes concursos mundiais.
A nova colheita ganhou, recentemente, a medalha de ouro no Concurso Internacional de Nova Iorque, arrecadando ainda a medalha “Premier”, prémio máximo, no concurso Olive Japan, tendo sido a única marca portuguesa, este ano, a conseguir esse feito.
Uma das responsáveis por esta empresa familiar confessa ter sido uma surpresa, principalmente a vitória, no Japão. “Não tinha grande esperança de ganhar porque é um concurso de alto gabarito”, refere Pilar Lima, que considera ainda que os vários prémios internacionais conquistados, desde 2007, no Brasil, França, Dinamarca, Espanha, Argentina, Israel, Japão e Estados Unidos, são, acima de tudo a afirmação de uma marca de qualidade. “O que nos importa é mostrar esta consistência de prémios para que as pessoas percebam que há aqui um produto de muita qualidade”, diz.
O Magna Olea emerge de cerca de 6000 oliveiras plantadas em modo de sequeiro, num sistema de produção integrada, sem aplicação de qualquer tipo de pesticidas.
A diretora comercial da empresa considera que o segredo está na paixão que o pai (Jerónimo Lima) tem pela olivicultura. “É a força desta máquina, porque não pára quieto, controla todo o processo produtivo com uma entrega inigualável e mantendo sempre um grande respeito pela natureza e pelo seu equilíbrio”, revela esta arquiteta de formação, mas agora inteiramente dedicada a esta causa.
De resto, considera que o mérito também assenta “nas caraterísticas do micro-clima da região, e no terroir, ou seja, as condições dos terrenos, a orientação solar e outros aspetos que contribuem para a qualidade de vários produtos desta região”, ressalva.
Outro aspeto importante para obter um azeite de qualidade passa pela apanha o mais cedo possível, contrariando a versão popular que só deve acontecer depois de Janeiro. “Na última campanha começamos a apanha no final de outubro, porque quanto mais cedo se apanhar a azeitona, melhor é o paladar do azeite produzido”, garante Jerónimo Lima, licenciado em história, mas que se dedica exclusivamente à agricultura, há mais de 25 anos.
A empresa conta com três membros da família Abreu Lima. O pai é o produtor. A filha Pilar, diretora de marketing e de vendas. A outra filha, Teresa, é designer e responsável pelo desenho da garrafa do Magna Olea, que emerge de cerca de 6000 oliveiras plantadas em modo de sequeiro, num sistema de produção integrada, sem aplicação de qualquer tipo de pesticidas.
“É uma marca familiar que continua um legado e fazemos questão de manter na quinta uma árvore milenar, que é também o nosso símbolo”, afirma Jerónimo Lima, que faz todo o trabalho em conjunto com um funcionário.
Mesmo assim, só precisa de 20 dias para fazer a apanha. “Não há domingos nem feriados para que a azeitona não amadureça demais e só não trabalho de noite porque por não ter visibilidade”, conta.

Por: Fernando Pires
Revista Raízes

Memórias do G.D.B. - Velha Guarda

O maior slide da Europa está de volta a Bragança!

Nos dias 5 e 6 de agosto.

Junte amigos e a família e venha escorregar na Avenida das Forças Armadas.

II Resistência BTT - Mogadouro

Sessão de esclarecimento no âmbito dos Sistemas de Incentivo ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E)

A CIM TTM – Comunidade Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes e a CoraNE – Associação de Desenvolvimento da Raia Nordestina, em parceria com o Município de Miranda do Douro, vão levar a cabo no dia 25 de julho de 2017, uma sessão de esclarecimento no âmbito dos Sistemas de Incentivo ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E).
Esta sessão, que irá decorrer no Miniauditório de Miranda do Douro, pelas 10:00horas, visa informar os potenciais interessados sobre as oportunidades de financiamento para criação de micro e pequenas empresas ou expansão ou modernização de micro e pequenas empresas já existentes, enquadradas no âmbito do Portugal 2020 em ações geridas pela CIM TTM e pela CoraNE.

Sessão de Divulgação - Medidas Ativas de Emprego

O CLDS-3G «Miranda CunBida» e o Gabinete de Inserção Profissional (GIP) de Miranda do Douro, têm a honra de o convidar a estar presente na sessão de divulgação sobre as medidas ativas de emprego - apoio à contratação, a realizar dia 21 de Julho pelas 14h30m, no Auditório Municipal, em Miranda do Douro.

Destina-se: Empresários, IPSS, Misericórdias e Desempregados.

III Certame de Teatro Sénior Artistas da Fronteira / IV Encontro Hispano-Luso de Séniores/ I Mercado Artesanal Transfronteiriço

Corrida de Carrinhos de Rolamentos

A emoção e a adrenalina no regresso da Corrida de Rolamentos, em Freixo de Espada à Cinta, dia 15 de Agosto.

Inscrições no Posto de Turismo de Freixo de Espada à Cinta

Eventos em Mirandela e Frechas



Durante três dias, Palácios acolhe o 19º Festival de Música e Tradição da Lombada, um evento que promove a tradição, a cultura local e a música folk

Evento mais ibérico do nordeste transmontano esteve de volta à aldeia raiana de Quintanilha para três dias de partilha musical, gastronómica e ambiental

Matilde Rosa Sarmento

Filha do doutor António José Pinheiro de Figueiredo Sarmento (763) e de D. Ana Maria de Sousa Rosa, paroquianos desta freguesia de Santo António de Vila Nova (anexa de Mirandela), nasceu a 20 de Janeiro de 1796; neta paterna do capitão Miguel Pires Pinheiro e de D. Luzia Esteves de Figueiredo, de Rabal, e materna do capitão Domingos Pires Rosa e de D. Maria Rosa, da quinta de Golfeiras, freguesia de Mirandela. Foi padrinho o doutor Luís António de Sousa, abade de Sobreiró. («Livro dos baptizados de Vila Nova, Mirandela, de 1568 a 1796»).
Doutor António José de Figueiredo e sua mulher D. Ana Pinto, ambos de Contins, foram padrinhos de um neófito a quem deram o nome de Francisco, nascido em Vila Nova em 1788.
António Pinto, do lugar de Abambres, e sua neta D. Ana Pinto Pinheiro, do lugar de Vila Nova, foram padrinhos em 1794 de uma Ana Joaquina, de Vila Nova das Patas. À margem deste assento há uma nota moderna que diz a propósito do padrinho: «o fidalgo António Pinto de Abambres». Portanto, esta neta é filha do Pinheiro e a mulher dele deve ser filha do fidalgo de Abambres ou de sua família.
Francisco António de Araújo, capitão-mor de Frechas, e sua mulher D. Joaquina foram padrinhos em 1794 de uma Joaquina nascida em Mirandela.
Francisco, filho do capitão-mor de Mirandela, Francisco Manuel da Veiga de Sequeira Baía Sarmento e de D. Luísa Antónia Benedita de Morais da Mesquita e Sousa, de Selores, nasceu a 18 de Abril de 1795 em Mirandela; neto paterno de António da Veiga de Sequeira, capitão-mor aposentado, e de D.Maria Joaquina de Sá Sarmento, de Chacim e aquele de Mirandela, e materno de Nicolau de Sousa Gomes e de D. Leonor Luísa de Morais da Mesquita Pimentel, natural do lugar de Selores, concelho de Carrazeda de Ansiães. Foram padrinhos: o tenente de cavalaria Luís Manuel de Morais da Mesquita Pimentel e Sousa, tio materno do baptizado, e a avó paterna. («Livro dos baptizados de Mirandela», fl. 34 v.)
Cândida, filha dos mesmos, nasceu a 7 de Janeiro de 1797.
António, irmão da precedente, nasceu a 6 de Setembro de 1798.
Maria, irmã dos antecedentes, nasceu a 10 de Fevereiro de 1800; desta foram padrinhos: Francisco Xavier de Morais da Mesquita, prior de Nossa Senhora da Assunção, da vila de Cernache, e sua irmã D. Leonor Maria da Encarnação de Morais da Mesquita, naturais de Selores, tios maternos da baptizada.
Joaquina Barbosa, irmã dos precedentes, nasceu, como todos os seus irmãos, em Mirandela a 25 de Agosto de 1802.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Memórias do G.D.B. - Rui Luís 1988

Só um médico de especialidade em todo o distrito atrasa marcação de consultas

Uma mulher de 60 anos, residente no concelho de Mirandela, está há cinco meses, à espera de uma consulta de medicina física e de reabilitação, na Unidade Local de Saúde do Nordeste recomendada pelo IPO, para a realização de sessões de fisioterapia a um braço que ficou com mobilidade reduzida na sequência de uma mastectomia da mama.
A ULS do Nordeste ainda não tem uma data agendada para a marcação da consulta, até porque, o único médico fisiatra que existe para os 15 centros de saúde e os três hospitais do distrito vai de férias no início do próximo mês.

Maria Bacalhau, de 60 anos, reside em São Salvador, no concelho de Mirandela. Há cerca de três anos, foi-lhe diagnosticado cancro da mama, tendo sido submetida a uma mastectomia e fez também quimioterapia e esvaziante ganglionar, no Instituto Português de Oncologia, no Porto.

Desde então tem vindo a ser seguida com regularidade no IPO, e nos últimos tempos tem sentido muitas dores e reduzida mobilidade no braço direito, levando o IPO a recomendar a realização de sessões de fisioterapia para debelar a situação.

No entanto, para que fosse possível dar seguimento a essa recomendação, a médica de família teve de pedir a marcação de uma consulta na ULS do Nordeste, na especialidade de medicina física e de reabilitação, o que veio a acontecer no dia 17 de fevereiro deste ano.

No relatório enviado, a médica de família referia mesmo que a prioridade da consulta era urgente. Só que, cinco meses depois, a consulta ainda não está marcada.

Virgílio Bacalhau, marido da utente, telefonou para o hospital de Macedo de Cavaleiros, onde a consulta deve ser marcada, e ficou a saber que ainda não há qualquer data agendada e nem têm qualquer previsão, porque o único médico fisiatra ao serviço da ULS do Nordeste, que integra 15 centros de saúde e três hospitais, prepara-se para gozar um período de férias, o que o deixou indignado: “Disseram que está atrasado, e que não sabem quando é que isto será resolvido. Disseram que a única forma de ser mais rápido era recorrer a uma clínica privada, mas nós não temos possibilidades”. Virgílio conta ainda que as dores da mulher são insuportáveis: “ela chora, e cada vez está pior. Foi às urgências esta segunda-feira, e é só medicamentos em cima de medicamentos. Acho que não se justifica só um médico para todo um distrito”.

Diga-se ainda, que as consultas desta especialidade, para além da lista de espera, só acontecem nos hospitais de Bragança e Macedo de Cavaleiros, levando a que os utentes do sul do distrito tenham de efetuar uma longa distância.

Por exemplo, um utente de Freixo de Espada à Cinta, tem de percorrer cerca de 200 quilómetros, ida e volta, para ter uma consulta de medicina física e de reabilitação, no Serviço Nacional de Saúde.

Confrontado com este caso, a administração da ULS do Nordeste respondeu através do gabinete de comunicação, confirmando que apenas dispõe de um fisiatra no seu quadro clínico, mas alega que está a desenvolver todos os esforços, “quer no sentido de o dotar de mais profissionais médicos, quer de facultar a resposta assistencial necessária aos utentes da especialidade de Fisiatria – entre os quais a referida utente de Mirandela – com a maior celeridade possível”.

Informação CIR (Rádio Terra Quente)

GNR recebeu 900 crianças no posto do comando territorial de Bragança

A GNR de Bragança abriu ontem portas a cerca de 900 crianças para um dia diferente e com muitas actividades e demonstrações das várias valências.
As crianças de várias idades puderam participar em ateliers de música, passeios a cavalo, actividades da escola de trânsito, assistir a demonstrações cinotécnicas e do GIPS e um concerto infantil com o Quinteto da GNR no Comando Territorial de Bragança. Uma forma de aproximar as crianças da Guarda Nacional Republicana, e um dia sempre muito apreciado pelos mais novos.
Desmistificar a imagem da GNR é precisamente um dos objectivos do dia aberto, como explicou o alferes Mazeda. “O objectivo deste dia é precisamente aproximar as crianças da GNR, para que elas percebam que a guarda está na sociedade para as ajudar, para contribuir para a segurança delas e da sociedade em geral. Este dia é designado por ‘Open Day’ e pretende-se que estas crianças sejam sensibilizadas para estas questões, nomeadamente a segurança rodoviária, a consciência ambiental, entre outras. Com isto pretende-se sensibilizar as crianças e as suas famílias e aproximar a guarda das comunidades locais.”
900 crianças de vários ateliers de tempos livres do concelho de Bragança tiveram ontem um dia especial no comando da GNR. 

Escrito por Brigantia

quarta-feira, 19 de julho de 2017

A Rota da Seda

Visite o Museu da Seda e do Território de Freixo de Espada à Cinta e a exposição sobre a indústria da seda no Museu do Abade de Baçal e perceberá esse fascínio!...
Escrito por: (Museu do Abade de Baçal)
A seda sempre foi muito procurada, o que levou à criação de um comércio muito próprio e intensivo que se fez durante milhares de anos.

A sua origem remonta à Antiguidade Clássica, existindo desde o Império Romano.

Percorrendo milhares de quilómetros desde a China até ao Mediterrâneo, as caravanas da seda traziam também outros produtos e informações, tendo-se constituido ao longo dos séculos como uma importante via de intercâmbio comercial e cultural, o que facilitou o desenvolvimento de um grande conjunto de trocas e saberes, que foi para além do simples transporte da seda.

Para ficar a conhecer mais sobre a história da seda em Portugal e, especificamente, em Freixo de Espada à Cinta, visite o Museu da Seda e do Território. Aguardamos a sua visita.

A VELHA AMARRADA AO BURRO

Por: Humberto Pinho da Silva


Acontecia, outrora, aos médicos da província, cada uma, que nem ao mais levado mafarrico lembrava.
Fernando Namora, narra, com a graça que lhe era peculiar, as suas aventuras, em: “ Retalhos da Vida de um Médico”.
E muitas pitorescas e engraçadas historietas, se contam, desses humildes “ João Semanas”: - verdadeiros heróis, que alcançavam “ milagres” com os escassos recursos que dispunham.
Ora, havia nesse tempo, jovem médico, com consultório montado no centro da cidade de Bragança, considerado e respeitado, por todos os brigantinos.
Suas curas, espampanantes, espalharam-se por todo o distrito, desde Bragança até a terras de Miranda, porque não havia maleita, que não sarasse, nem mal que não passasse.
Tinha o jovem doutor, tia, velha, teimosa e rabugenta, que sofria de graves males, que seriamente a atormentavam. Mas – apesar dos rogos, – recusava, peremptoriamente, ir ao médico.
Os familiares andavam deveras preocupadíssimos. Como demove-la da contumácia?
À Vila não queria ir. Também o médico, que ai clinicava, estava tão ancilosado, que mal conseguia diagnosticar a mais leve enfermidade.
Os desconfiados aldeões, preferiam as antigas mezinhas das avós, ou a arte mágica de bruxas da região. - Por sinal, poucas e ignorantes, e tão néscias como os rústicos campesino, - do que ir à Vila.
O que fazer, então?, já que a velhinha piorava a olhos vistos?
Após muito matutarem e altercarem, entre si, os parentes da velha casmurra, assentaram encetar a árdua e perigosa viagem, por vales e montes e caminhos escabrosos, até Bragança. Terra grande, onde havia hospital e vivia o sobrinho (?) da enferma, que granjeara reputação de “ sapiente”.
Mas como, se a velha não queria?! …
Nessa recuado tempo, não havia quem tivesse automóvel - nem na aldeia, nem, talvez, no concelho. - O remédio era transportá-la de burro – animal pachorrento e amigo de fazer vontades.
Mas como convencer a velha?; se não queria sair de casa?
Acordaram, por unanimidade, chamar dois valentões, que agarraram e amarraram a mulher, com grossas cordas, à albarda, coberta por velha e surrada liteira.
Bem segura e bem atada, lá foi a nossa velha, bracejando e chorando, até à Praça da Sé, e da Praça até, à porta do consultório do famoso médico, onde arreataram o jerico,
Estava o clínico, de estetoscópio na mão, a auscultar conscientemente o peito de respeitosa idosa, quando escuta grande alarido, que subia da rua. Algazarra infernal, chinfrinado endiabrado, à mistura de muitos guinchos, berros e vozearia.
“ O que seria?!” – Pensou, atónito, o jovem médico.
Esclareceu-lhe a curiosidade a solicita empregada, que entrou afogueada no consultório, explodindo num misto de surpresa e indignação:
- “ Senhor doutor: Está uma mulher, a gritar e a estrebuchar, amarrada a um burrico! …e muita gente à volta! … Dizem que é tia do Senhor doutor!!! …”
- “ Pois vá dizer: que não sei quem é. E mande-os embora…Não atendo ninguém que venha amarrado a um burro! …”
Não houve outro remédio, apesar dos rogos e altercações, senão regressarem à terra, com a velha amarrada, e mais séquito de festiva garotada, até ao Loreto, que em risos e chalaças, galhofavam com a grotesca e hilariante cena.
Mais tarde, parentes do jovem médico, diziam, entre si, e para quem os queria ouvir, com olhos de indignação cravados no céu:
_ “ Parece impossível! Ter vergonha da tia! … Sangue do seu sangue! …”
E os aldeões, que os ouviam, repetiam, com cibinho de ira, sacudindo negativamente a cabeça:
- “ Vão estudar para a cidade. Ficam ricos, e não querem saber dos pobres! … É para isso que uma mãe cria o filho! …”


Humberto Pinho da Silva nasceu em Vila Nova de Gaia, Portugal, a 13 de Novembro de 1944. Frequentou o liceu Alexandre Herculano e o ICP (actual, Instituto Superior de Contabilidade e Administração). Em 1964 publicou, no semanário diocesano de Bragança, o primeiro conto, apadrinhado pelo Prof. Doutor Videira Pires. Tem colaboração espalhada pela imprensa portuguesa, brasileira, alemã, argentina, canadiana e USA. 
Foi redactor do jornal: “NG”. e é o coordenador do Blogue luso-brasileiro "PAZ".


Capotamento de tractor em Melhe, Vinhais, provoca ferido grave

Um despiste de uma máquina agrícola fez esta tarde um ferido grave em Melhe, freguesia de Edrosa, Vinhais.
Segundo fonte da GNR, o tractor em que seguia um homem de 70 anos despistou-se na rua central da localidade e terá colidido com uma habitação, tendo-se depois dado o capotamento da viatura.

A vítima foi transportada para o Hospital de Bragança. 

Escrito por Brigantia

Festa do peixe do rio e das migas na Foz do Sabor

Novo conselho geral do IPB tomou posse ontem

Continuar o trabalho desenvolvido até agora em prol dos resultados e reconhecimento que têm vindo a ser alcançados a nível nacional e internacional é o objectivo da nova equipa do conselho geral do Instituto Politécnico de Bragança, que tomou posse ontem à tarde.
Dionísio Gonçalves, ex-presidente do IPB e actual presidente conselho geral fala de um novo ciclo mas com a continuação de desafios permanentes.
“ São desafios permanentes que temos de enfrentar, não é porque mudou a equipa que as coisas vão mudar, temos de continuar o bom trabalho que tem vindo a ser feito e que nos colocou nos rankings de excelência e é com essa bitola que vamos continuar a desenvolver o trabalho mas agora com algum sangue novo que vem ajudar a equipa que ficou”, diz.
Visivelmente emocionado, Sobrinho Teixeira, presidente do IPB, fez um discurso de agradecimento aos membros cessantes do conselho geral fazendo um balanço positivo ,com alguma nostalgia, sobre todo o trabalho desenvolvido e resultados alcançados. O líder da instituição deu as boas-vindas aos novos membros reiterando “que são bem-vindos à equipa e que agradece que venham com sugestões ideias e projectos que possam melhorar ainda mais o que tem vindo a ser feito.”
Adianta ainda “ que a missão nunca está cumprida. Sobretudo, acho que é uma sensação de felicidade por poder estar, contribuir e poder dar corpo ao que é muito do sentimento das pessoas da instituição de orgulho.” Considera-se um “bafejado pela sorte”, por chefiar o Instituto Politécnico de Bragança e trabalhar “lado a lado” com todos os que dele fazem parte.
Na Escola Superior Agrária cessou funções, como director, Albino Bento e tomou posse Miguel Vilas Boas. Na Escola Superior de Saúde cessou Helena Pimentel e tomou posse Adília Fernandes. Na Escola Superior de Tecnologia e Gestão, José Adriano Pires substitui na direcção Adriano Alves.
Luís Carlos Pires e António Ribeiro Alves mantêm-se na direcção da Escola Superior de Comunicação Administração e Turismo e na Escola Superior de Educação, respectivamente.
Os novos membros enfrentam agora um ciclo de quatro anos nas dianteiras daquele que é considerado por vários rankings o melhor instituto politécnico de Portugal e uma das melhores instituições de ensino superior do mundo. 

Escrito por Brigantia

"Entrega da água em alta foi um mau negócio para os municípios"

Duarte Moreno actual presidente da câmara municipal de Macedo de Cavaleiros e recandidato pela coligação do PSD e CDS/PP, Macedenses Primeiro, acredita que a entrega da água em alta para à Aguas de Trás-os-Montes, agora Águas do Norte foi um mau negócio para as autarquias.
O autarca explica também que não é possível rever o contrato.
“Eles vendem-nos a água em alta, são eles que fazem a captação de água, tratamento e em alta vendem-nos a água e nós temos que chegar com a água depois em baixa às casas das pessoas. Durante uma década fizeram-se obras mas esqueceram-se daquilo que andava por baixo. Portanto, eu como sou o presidente actual, agora tenho as fugas todas e estamos a fazer um esforço para a detecção de fugas. Neste momento, já detectámos 150 fugas invisíveis, o que significa que são fugas que têm mais de 20 anos e que agora é que estamos a tratar delas, porque nunca se tinha deparado esta situação. Como as tubagens que estão enterradas já têm mais de 40 anos, é natural que ocorram essas situações. Não estamos a minorar toda esta problemática, mas também temos extensões de rede de 30 quilómetros, por montes e vales do nosso território, o que significa que a água também se vai perdendo por outros sítios. Estamos a minorar isso, queremos que isso não volte a acontecer, foi um mau negócio na altura, a câmara municipal antes desse negócio ainda tinha uma mais-valia de 500 mil euros e hoje tem um prejuízo de um milhão de euros. Com contractos leoninos não há forma de rever nada, foram assinados e agora têm a concessão de trinta anos, vai terminar daqui a 15 anos, de qualquer forma não podemos rever, porque é um contrato”, explicou.
Duarte Moreno admitiu ainda a que o encerramento do Instituto Piaget foi uma nódoa negra nos últimos anos e que foram auscultadas outras instituições de ensino superior que não demonstraram interesse em instalar-se em Macedo.
“Historicamente o Piaget esteve uma década em Macedo de Cavaleiros. Foi fundamental para essa década, porque trouxe alguns milhares de estudantes que passaram por ali e que também determinaram o que se investiu no território em termos de construção e também o que existia em termos económicos ao nível do aumento da restauração e da economia local. Mas Macedo de Cavaleiros desde sempre viveu foi com o comércio. Nós gostávamos que o Piaget funcionasse, não tivemos ainda nenhuma proposta, eles estão a trabalhar no sentido de colocar aquele espaço em funcionamento, até porque têm que o fazer porque senão degrada-se. Estamos também a ajudar nessa matéria, já fizemos alguns contactos, mas as universidades não quiseram vir até cá, mas estamos a trabalhar no sentido de colocar o Piaget ou outra instituição qualquer que seja, naquelas instalações”, esclareceu.
O candidato define ainda como investimento prioritário num possível segundo mandato a conclusão e alargamento da zona industrial, mesmo depois de o projecto não ter sido contemplado por financiamento comunitário.
Duarte Moreno recandidata-se à liderança de Macedo de Cavaleiros fazendo um balanço positivo do trabalho feito no actual mandato, onde diz ter cumprido “entre 80 e 90 por cento” daquilo a que se propôs há 4 anos. O objectivo agora é, segundo o candidato, continuar o trabalho feito e pensar “sobretudo nas pessoas.”
Estes e outros assuntos na entrevista Rádio Brigantia/Jornal Nordeste, desta semana, para ouvir hoje depois do noticiário das 17 horas. 

Escrito por Brigantia

Bragança, Festa da História 2017



Faleceu o Escritor Transmontano Nuno Nozelos

O grande escritor Nuno Nozelos, faleceu hoje em Torre de Dona Chama.
Nuno Nozelos era natural da aldeia de Fradizela, no concelho de Mirandela, tinha por terra “adoptiva” a vila torriense (Torre de D. Chama).
Destacou-se como escritor mas também como jornalista e conferencista. 
Esteve ligado a diversos órgãos de comunicação da região e de não só. 
As letras são o que mais o destaca, com uma vasta obra publicada, entre os quais “Gente da minha terra” ou o livro de contos “Retratos Nebulosos”.
Nuno Nozelos

Memórias do G.D.B - Antas e Delgado

Alfândega da Fé já tem Clube de Leitores

Alfândega da Fé tem a partir de agora um Clube de Leitores. A iniciativa da autarquia pretende promover o contacto com os livros, tornando a leitura uma atividade de carácter social, comunicacional e de partilha, ao mesmo tempo que se dinamiza a Biblioteca Municipal, local onde funcionará o clube.
O Clube de Leitores destina-se a todos os munícipes de Alfândega da Fé que partilham o gosto pela leitura e pretendam participar em atividades de leitura recreativa ou literária. Para todas as idades, este clube pretende criar hábitos de leitura na comunidade e divulgar obras e autores, promovendo o debate sobre os mesmos. 

O funcionamento e dinamização do Clube de Leitores estão a cargo da Professora Sílvia Lamas. As inscrições podem ser feitas até ao dia 20 de julho, presencialmente na Biblioteca Municipal, através do email bmalfandegafe@gmail.com ou por telefone, através do número 279 463 13.
in:noticiasdonordeste.pt

Paulo Bragança - 20 de novembro de 2001

Paulo Bragança interpreta os temas: 03m11: "Lisboa a Namorar". 06m20: "Diz que me Conheces". 09m35: "O Tempo Não Volta". 14m28: "Imenso". 20m44: "A Sombra". 24m43: "Na Ribeira deste Rio".
clica na imagem para aceder ao video

Geoparque Terras de Cavaleiros promove mais uma edição de Ciência Viva no verão em Rede

O Geoparque Terras de Cavaleiros promove mais uma edição de Ciência Viva no verão em Rede entre os dias 15 de julho e 9 de setembro nas áreas da Geologia, da Biologia e da Astronomia "que desafiam os participantes a partirem à descoberta do seu território numa perspetiva diferente". 
Desvendar uma parte da história da Terra, com mais de 500milhões de anos, conhecer os vestígios de dois antigos continentes e um oceano e os múltiplos fenómenos geológicos que ocorrem no Geopark Terras de Cavaleiros, aprender mais sobre a diversidade faunística na Albufeira do Azibo e, ainda, observar as estrelas, os planetas e alguns objetos mais longínquos, são os principais objetivos de um programa que pretende dar a conhecer as histórias da Terra e da Vida na Terra. 

Todas estas ações de Ciência Viva são gratuitas e acompanhadas por técnicos especializados.

Obras da escola secundária de Mirandela deverão começar dentro de um mês

Dentro de um mês devem arrancar as obras de reabilitação da escola secundária de Mirandela. No final da semana passada, o Município já procedeu à assinatura do contrato da empreitada que vai custar cerca de 3,2 milhões de euros, pelo que falta apenas o visto do tribunal de contas para o início das obras num estabelecimento de ensino que já tem cerca de 40 anos e nunca teve qualquer intervenção.
Há ainda mais três escolas do primeiro ciclo do ensino básico da cidade que vão ser alvo de requalificação, num investimento a rondar os 4 milhões de euros.
Há mais de uma década que estão prometidas obras para a escola secundária de Mirandela que já chegou a ter projectos realizados e um concurso anulado. Chegou mesmo a constar na lista da 3ª fase de requalificação da Parque Escolar, com investimento de 13 milhões, mas nada avançou.
Parece que é desta que o estabelecimento de ensino vai mesmo ter uma intervenção de fundo, a primeira desde que foi inaugurada, há cerca de 40 anos.
Nesse sentido, já foi assinado o contrato da empreitada e o presidente do Município espera que dentro de um mês a obra possa avançar após luz verde do tribunal de contas.
António Branco explica que será uma intervenção faseada que vai durar cerca de um ano a concluir
Trata-se de um investimento de 3,2 milhões de euros, um valor superior ao que ficou contratualizado no pacto territorial de desenvolvimento e coesão da CIM Terras de Trás-os-Montes, que foi de 2,4 milhões, cuja comparticipação de fundos comunitários é de 85 por cento, ou seja, 2 milhões de euros, e os restantes quinze por cento são repartidos, pelo Orçamento de Estado e pelo Município, cabendo 7,5 por cento a cada parte, ou seja, 180 mil euros.
No entanto, a diferença, de 800 mil euros, entre o que ficou contratualizado e o que vai custar a obra será reivindicada na próxima reprogramação. Mas se isso não acontecer, o município compromete-se a suportar os custos.
No que se refere ao 1º Ciclo do Ensino Básico, está contratualizada uma verba de 3,7 milhões de euros, também financiada a 85 por cento, por fundos comunitários, para obras em três escolas do agrupamento de Mirandela.
Um novo bloco já começou a ser construído na Escola Básica Luciano Cordeiro e estão previstas reabilitações em mais duas escolas, que devem começar na próxima semana
Durante o período de trabalhos, os alunos dos diversos estabelecimentos de ensino vão ser transferidos para o edifício do Piaget, que foi adquirido pelo Município. Obras no parque escolar de Mirandela vão avançar com um investimento total a rondar os 7 milhões de euros. 

Escrito por Terra Quente (CIR)/ Foto: CM Mirandela