terça-feira, 16 de maio de 2017

José António de Castro Pereira

Pormenor da pedra de armas do século XIX,
(heráldica de família Pereira e Castro)
Fotografia de Guilherme Bomfim Barreiros
Natural de Bragança, fidalgo-cavaleiro da casa real, comendador da ordem de Cristo, deputado da nação, rico proprietário, senhor do palácio brasonado de Santa Catarina, na rua deste nome, no Porto, bibliófilo distinto. Era filho de Salvador Mendes Pereira e de D. Joaquina de Castro Pereira, sua prima; neto paterno de António Dias Pereira da Paz e de D. Ana Luísa Pereira da Paz e materno de António de Santiago Pereira do Lago e de D. Luísa Maria de Santiago. Bisneto paterno de Diogo Barroso Mendes Pereira e de Rosa Amália Dias da Paz e materno de Manuel de Santiago Pereira do Lago e de D. Fortunata de Losada. Terceiro neto paterno de José Rodrigues Barroso Pereira e de D. Mariana Mendes e materno de João de Castro Pereira do Lago e de D. Josefa de Morais Madureira. Quarto neto paterno de António Rodrigues Barroso Pereira e de D. Inês de Aboim de Morais, à qual se refere a revista Cerâmicas Brasonadas, tomo I, pág. 41, e materno de Pedro Pereira do Lago e de D. Josefa de Santiago de Castro.

Este António Rodrigues Barroso Pereira descendia de Francisco Barroso Pereira, moço da câmara real, que teve carta de brasão de armas a 20 de Setembro de 1563, registado na chancelaria de D. Sebastião, livro III, fol. 233 v.

Este Francisco Barroso Pereira era filho de Cristóvão Rodrigues Barroso Pereira, neto de Martim Rodrigues Pereira e de D. Clara Fernandes Barroso e bisneto de Gonçalo Rodrigues Pereira e de Aires Fernandes Barroso, os quais todos foram fidalgos e do tronco destas gerações.
O respectivo brasão de armas, passado a 9 de Março de 1843, é partido em pala: na primeira, as armas dos Pereiras, e na segunda, as dos Castros; em campo de oiro treze arruelas de azul postas em três faixas, a do meio com cinco e as das ilhargas quatro em cada uma. Elmo de prata, aberto, guarnecido de oiro. Timbre o dos Pereiras, uma cruz florida-vermelha, entre dois cotos de asas de oiro. Brica de prata com um farpão de verde.
Está registado no livro 8.º, do Registo dos Brasões de Armas da Nobreza e Fidalguia destes Reinos e seus Domínios, fol. 309, e também no Livro do Registo dos Foros de Fidalgos pertencente aos Paços do Concelho da Cidade do Porto, fol. 51.

I – José António de Castro Pereira foi sepultado no sumptuoso jazigo por ele mandado construir no cemitério da Lapa, no Porto, decorado com o brasão atrás referido. Teve de sua mulher D. Antónia Margarida Antunes Navarro, irmã do 1.º conde de Lagoaça:

II – Alexandre de Castro Pereira, comendador da ordem de Cristo, que em 1886 foi para Lisboa, leiloando no Porto a importante livraria de seu pai de que imprimiu catálogo, nesse mesmo ano, na tipografia de O Comércio do Porto e consta de 46 pág. in-8.º Alexandre de Castro é pai de D.Maria das Dores de Castro Pereira Lopes.

III – D.Maria Eduarda, mãe de Alfredo de Castro Pereira, residente na casa brasonada de Vale de Prados, concelho de Macedo de Cavaleiros, e D. Adelaide de Castro Pereira, casada com o doutor Artur Alberto Lopes Cardoso, ex-ministro da Justiça, de quem falamos noutra parte.

IV – D. Emília, de quem são netos o doutor Diogo Albino de Sá Vargas e sua irmã D. Fortunata Vargas.

V – D. Ermelinda, mãe do doutor Alberto de Castro Pereira de Almeida Navarro e avó do doutor José Silvério de Campos Henriques Salgado de Andrade (Vila Nova de Foz Côa), do doutor José António Meireles de Campos Henriques, do major de infantaria Artur Alberto Mendes de Campos Henriques, do 3.º visconde da Trindade e do publicista Augusto Navarro.

VI – D. Fortunata, viscondessa de Francos, mãe do visconde de Francos e do doutor António de Castro Pereira e Sola, ambos juízes do Supremo Tribunal de Justiça.

VII – D. Adelaide, mãe da viscondessa de Vila Nova de Foz Côa e do doutor Júlio de Castro Pereira Lopes.

VIII – D. Amélia, mãe de D.Maria da Luz de Campos Henriques.

IX – Júlio, 2.º visconde de Lagoaça, pai de D. Amélia de Castro Pereira, casada com o engenheiro Flávio Pais, de Álvaro de Castro Pereira, de D. Helena de Castro Pereira, casada com Francisco Vara, e de D. Alice de Castro Pereira, casada com o doutor Jaime Faro, juiz no Porto.

X – D. Cândida, condessa de Castro e Sola, mãe do conde de Castro e Sola e avó de D.Maria Helena da Fonseca Teles de Castro Pereira Lopes.

Memórias Arqueológico-Históricas do Distrito de Bragança

Sem comentários: