domingo, 27 de agosto de 2017

Trás-os-Montes acolhe primeiro festival de dança contemporânea

Os teatros de Bragança e Vila Real anunciaram hoje a realização, em setembro, da primeira edição do festival de dança contemporânea 'Algures a Nordeste', que vai proporcionar 15 espetáculos de entrada gratuita nas duas cidades.
A operação 'Algures a Nordeste' é um projeto de promoção cultural e turística que inclui o primeiro festival de dança contemporânea da região e a criação de espetáculos originais.

O projeto, concebido pelos teatros municipais de Bragança e Vila Real, irá decorrer em 2017 e 2018 e resulta de uma candidatura a fundos comunitários de cerca de 400 mil euros.

Como anunciou hoje a organização, em comunicado, o festival de dança decorre entre 9 e 30 de setembro, com pré-abertura no dia 6, na rua, com um espetáculo "street dance", de Max Oliveira.

Em Bragança e Vila Real vão realizar-se 15 espetáculos, de entrada gratuita, com coreografias de Olga Roriz, Victor Hugo Pontes, São Castro, Nélia Pinheiro e Daniel Cardoso.

Paralelamente, realizam-se oficinas e encontros com os coreógrafos.

Depois, em outubro e novembro, estreiam-se 'Vestígio' e 'Barro', duas criações originais inspiradas no património e no imaginário cultural da região.

"Vestígio" possui direção artística de Joana Providência, do Teatro do Bolhão, estreia-se a 27 de outubro, em Bragança, e é uma viagem a Trás-os-Montes através da obra do fotógrafo Georges Dussaud.

A 17 de novembro, estreia-se 'Barro', em Vila Real, uma produção dirigida por Mafalda Deville, da Companhia Instável, e inspirada no imaginário cultural do Barro Negro de Bisalhães e do Barro de Pinela.

Esta produção estreia-se na altura em que se assinala o primeiro aniversário da inscrição do Barro de Bisalhães na Lista de Património Cultural Imaterial da UNESCO.

Ambas as criações, com residências artísticas a decorrer ao longo deste ano, envolvem a comunidade local e são apresentadas nas duas capitais de distrito.

A operação cultural que envolve as capitais de distrito transmontanas é ainda uma homenagem ao escritor A. M. Pires Cabral, autor do livro 'Algures a Nordeste'.

Agência Lusa

Sem comentários: